Novo: O que você precisa saber para alcançar ótimos resultados com a terapia cognitiva.

18/08/2014

Você já percebeu?

 

Em alguns momentos você tem vontade de melhorar-se em alguma esfera de sua vida. Seja nos seus relacionamentos sociais, amorosos ou de trabalho. Seja nas suas atitudes. Seja nos seus sentimentos.

 

Você não sabe muito bem como fazer isso. Então alguma situação te lembra da opção: "fazer terapia", mas não lhe parece que seja possível mudar muita coisa apenas "conversando uma hora por semana com alguém" e você acaba desistindo, deixando para lá.

 

Ou você já faz terapia, mas frequentemente durante as sessões tem a "sensação de que algo não está sendo resolvido", mesmo após algum tempo. E que você não tem todas as respostas de que precisa. Parece familiar?

 

Veja o que acontece.

 

É comum algumas pessoas acreditarem que a psicologia possibilita muito pouca mudança por terem ideias muito diferentes sobre como funciona a terapia, sobre em que a terapia pode ajudar ou sobre quanto tempo leva para seus problemas serem solucionados.

 

Se você não sabe ou tem dúvidas quanto ao processo de terapia irá se beneficiar muito das informações a seguir:

 

 

1. Psicoeducação. A terapia inclui uma parte educativa sobre psicologia.

 

Se uma das primeiras coisas que um terapeuta faz é explicá-lo que pensamentos, sentimentos e comportamentos estão sempre relacionados, parabéns para ele.

 

Por quê? Porque entender essa relação te dará uma habilidade preciosa para entender a razão de você optar por um comportamento no lugar de outro. Você entenderá que o que lhe leva a sentir e comportar-se de uma maneira específica é a sua interpretação das situações.

 

Melhor ainda será se com o decorrer das sessões ele também lhe explicar que estes 3 ítens estão sempre de acordo com suas crenças sobre si, sobre os outros e sobre o mundo. Isto te dará mais ferramentas para entender sozinho seu próprio funcionamento.

 

Mas não para por aí, de acordo com suas necessidades e objetivos o psicólogo lhe fornecerá muito mais informações.

 

Não dispense estas informações, incorporá-las à sua forma de refletir a realidade é um ganho permanente.

 

 

2. Conceituação cognitiva. O psicólogo faz um mapeamento de toda a cognição do paciente.

 

Quando alguém comparece ao consultório e expõe sua queixa inicial o terapeuta começa a explorar os sentimentos, pensamentos e comportamentos da pessoa relacionados a esta queixa, ainda que as sessões pareçam sempre um bate-papo.

 

Isto é feito para descobrir qual crença está dificultando sua adaptação a alguma situação e que será trabalhada durante a terapia.

 

Então a terapia revelará uma parte da sua visão de mundo muito difícil de se perceber sozinho. E você deverá estar atento a essas descobertas para mudar suas ações em direção a suas metas.

 

 

2. A psicoterapia não depende apenas do terapeuta.

 

Assim como nenhum profissional da saúde é o único responsável pela melhora ou piora do paciente. Você sempre terá o mérito pelo esforço feito para o seu próprio progresso.

 

Para a terapia ser eficaz 3 ítens são essenciais:

 

  • Engajamento Quanto mais consistentemente você conseguir observar o seu próprio comportamento, seus sentimentos e pensamentos nas situações fora de consultório, mais material você poderá fornecer ao seu terapeuta para trabalhar e maior o retorno que ele poderá te dar.

 

  • Aprender conceitos Assim como é importante ler um contrato antes de assinar ou entender como determinadas máquinas funcionam antes de liga-las, o autoconhecimento é importante antes de tomar certas decisões sobre nós mesmos. Mesmo que seja possível fazer estas coisas sem tantas precauções, quando surgem problemas é preciso recorrer aos "manuais da vida", ou seja, conhecer-se melhor para escolher as atitudes a tomar. E aí entram os conceitos da psicologia, para ajudá-lo a conhecer-se, refletir e fazer escolhas.

 

  • Seguir as recomendações Se durante as sessões você concluiu junto com seu terapeuta sobre a mudança de algum hábito que lhe causa problemas ou a inserção de um comportamento em sua rotina, o seu esforço em aplicar recomendações e conceitos discutidos em sessão é parte do sucesso da terapia.

 

3. Fazer terapia não é algo confortável o tempo todo. Confie no seu psicólogo.

 

O psicólogo lhe ensinará a mudar suas crenças disfuncionais, apontando nas situações as evidências que as contradizem em momentos que você está acostumado a apenas encontrar evidências que os afirmam.

 

Assim a mudança de pensamentos leva a mudança de comportamentos e sentimentos.

 

Da mesma forma a mudança de comportamentos leva à mudança de pensamentos e sentimentos despertados. E com o tempo leva também à desconstrução de crenças disfuncionais, pois a mudança de um hábito mostra que a consequência desta mudança não é a que o pensamento esperava.

 

Assim, o momento de aplicar os conceitos aprendidos será um momento em que precisará sair de sua zona de conforto. Nesta hora confiar no psicólogo para fazer o teste de evidências é importante.

 

Logo, quando perceber que está agindo de acordo com sua crença disfuncional, mude de comportamento por mais desconfortável que possa parecer no momento. Pois com certeza haverá evidências na situação contra sua crença, que quando observadas, o farão sentir-se melhor.

 

 

4. Errar é humano. Aceite-se imperfeito.

 

A terapia é direcionada a uma meta. Logo, sempre haverá outros aspectos da sua vida que você poderá melhorar. Somos humanos e seria uma expectativa fora da realidade esperar absoletamente nunca errar, mesmo fazendo terapia.

 

O trabalho do psicólogo é adequar o impacto de nossos comportamentos e crenças disfuncionais a proporções reais, o que não significa absolutamente zerar sintomas, zerar o sofrimento psíquico, zerar imperfeições.

 

Logo, se durante a terapia algo parece não estar sendo resolvido mesmo assim, questione. Verifique se está dentro da meta que foi levada ao terapeuta logo de início. E não desista tão fácil, nenhum incômodo tem valor menor de forma que não deva ser levado à terapia.

 

Conhece alguém que gostaria de ler este post ou que se beneficiaria dele, compartilhe e continue ligado no amabilerodrigues.com

 

*este post expressa posicionamentos de psicólogos que seguem exclusivamente a abordagem cognitivo-comportamental.

 

Amábile Rodrigues Siqueira - Psicóloga em Santos - CRP 06/118851 - Consultório de Psicologia Gonzaga/Santos-SP - Atendimentos de Segunda a Sábado.

Please reload

psicologa em santos, consultorio de psicologia

Amábile Rodrigues Siqueira é psicóloga pela Universidade Federal de São Paulo atuando na cidade de Santos.

Posts Destacados

3 pensamentos para questionar se você quer ter uma vida amorosa tranquila e feliz.

14/02/2019

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Amábile Rodrigues Siqueira - Psicóloga em Santos - CRP 06/118851 - Consultório de Psicologia em Santos-SP - Atendimentos de Segunda a Sábado

  • Wix Facebook page
  • Instagram ícone social

amabile.rodsiq@gmail.com

(13) 98153-9029

por Amábile Rodrigues Siqueira