2 fatores que você não pode deixar de lado para ter uma vida com sentido, felicidade e objetivos alcançados. #JaneiroBranco

 

Quais são os seus maiores desejos na vida? 

 

Uma grande parte das pessoas tenderá a responder coisas como trabalhar com algo que goste, ficar rico, ser correspondido no amor, formar uma família, viajar, ou várias outras opções... 

 

Geralmente coisas que elas acreditam que lhes trará felicidade.

 

E para chegar a estes objetivos precisarão dar conta de uma lista de outras coisas, por exemplo:

 

Estudar,

Procurar emprego,

Passar em uma entrevista de emprego causando boa impressão,

Aprender a gerir um empreendimento próprio,

Conseguir juntar dinheiro, 

Cuidar para não ter problemas muito graves de saúde,

Aprender a lidar com pessoas,

Namorar, casar ou manter uma vida amorosa/sexual,

Aprender a cuidar de crianças,

Cuidar para não ser assaltado, sofrer acidentes graves ou passar por situações de perigo...

 

E até outras coisas que você pode ter pensado e não estão nesta lista. Tudo isso exige algum grau de dedicação e acerto nas tomadas de decisão.

 

Mas eu tenho uma novidade para você sobre isso...

 

 

Nossas decisões, desempenho e comportamentos específicos são tanto racionais quanto emocionais no funcionamento; diferente de como é dito popularmente que são duas coisas diferentes, são apenas dois aspectos diferentes desses três itens a que me referi. 

 

Então esta divisão de razão e emoção é apenas didática (a neurociência já comprovou)!

 

E assim, ao longo da vida, as pessoas se preparam para o aspecto racional das tarefas que precisam empenhar para atingir seus objetivos participando de várias atividades.

 

E geralmente, muitas pessoas se preparam quanto ao aspecto emocional seguindo conselhos dos pais ou conversando com amigos. 

 

Porém, muitas pessoas não darão ouvidos aos pais, não terão pais, terão pais que não darão muitos conselhos ou não terão a sorte de ter pais e amigos emocionalmente preparados, assim como nossos professores devem ser preparados para dar aulas.

 

E adivinha no que isso dá?

 

Perda de oportunidades cruciais ao longo da vida,

Perda de dinheiro ou dificuldades financeiras,

Relacionamentos de má qualidade e inimizades,

Adoecimento físico e emocional,

Perdas no desenvolvimento intelectual, emocional e pessoal...

 

Ou seja, tudo o que tornaria o alcance dos nossos objetivos (aqueles que você pensou no começo do texto) mais rápido ou nos afastaria de muita infelicidade!

 

Então o que fazer para nos prepararmos melhor na esfera emocional?

 

Adivinha só?

 

 

Sim , eu sei que é  uma opção que dá um trabalho que muitos não estão dispostos, assim como tem gente que não está disposta a estudar e trabalhar, mas...

 

Faça terapia!

 

Não é porque eu queira vender meu peixe, mas considerando as especificidades das opções (posso escrever sobre isso mais para frente), a mais completa e segura é a psicoterapia.

 

É claro que também temos livros de autoajuda, apps de celular, plataformas online, coaching (se for fazer recomendo dar preferência a um coach formado em psicologia ou psiquiatria)... 

 

Estas outras opções não substituem um acompanhamento profissional e em uma boa parte dos casos não vão ser o suficiente (aquele barato que sai caro né), então pense bem nas escolhas.

 

Mas se você acompanha minhas redes sociais, já sabe que eu costumo indicar muitas opções de apps, livros e canais de psicólogos e coaches e outros bons influencers no Youtube!

 

Então não tem desculpa!

 

Entendeu agora por que é importante?

 

É pelo seu próprio bem mesmo e pelo amor que temos pela nossa profissão, não por que só queremos ganhar o seu dinheiro! (pior é que ainda tem gente que fica pensando isso e outros mitos como o clássico "psicólogo é coisa de gente doida"... Aff...)

 

Tem muita gente que prefere fazer o exame de toque no urologista, a colposcopia na ginecologista ou arrancar um dente do que apenas falar somente o que quiser de si pra alguém que irá ajudá-lo sem julgá-lo nem contar nada para ninguém!!!

 

E que bom que o Outubro Rosa e Novembro Azul já funcionam!

 

Porque todos estes cuidados de saúde também são o que tornará possíveis os objetivos que você pensou lá no começo do texto, não é mesmo?

 

Tem gente que chega aqui no consultório precisando destes profissionais e eu sempre encaminho, mas o janeiro branco também está precisando ter a sua vez no ano!

 

Você Conhece o Janeiro Branco?

 

 

Justamente em janeiro quando todo mundo estaria buscando melhorar a vida em relação ao ano anterior que acontece a campanha em prol do cuidado pela saúde mental (e isso não é o mais urgente e importante nisso tudo, continue lendo...). 

 

A campanha começou em Minas Gerais em 2014 e o objetivo principal é esse: que as pessoas reconheçam a necessidade de cuidar da saúde emocional, própria e do próximo (e que realmente cuidem na prática).

 

Digo "do próximo" sabe por que?

 

É porque depois do janeiro branco nós temos outra campanha relacionada a saúde emocional, o Setembro amarelo.

 

Eu digo para as pessoas que se a gente não apoiar em janeiro a situação vai estar preta, ou bem amarelada em setembro! 

 

O setembro amarelo é o mês de prevenção do suicídio, quando o apoio dos familiares emocionalmente saudáveis e preparados é crucial.

 

Repito: CRUCIAL!!!

 

E ano após ano nos deparamos com pessoas incrivelmente despreparadas! 

 

O efeito disso no quanto as pessoas falham em conquistar seus sonhos é uma bola de neve.

 

Vai dizer que você nunca vai precisar do apoio de ninguém pra chegar onde quer na vida?

 

Ou que se você não cuidar de quem está a sua volta isso não vai ter consequências sobre a sua vida?

 

 

Sabe de nada, né inocente!?

 

Ainda tem muita gente dizendo: "depressão é frescura", "transtorno mental é falta de uma pia de louça para lavar", "stress é coisa de gente rica", "ir em psicólogo é coisa de gente doida"... tudo sabotagem!

 

(Esse tipo de coisa ESMIGALHA o emocional de quem ainda está vulnerável).

 

Dizem tudo isso porque para entender o funcionamento dos transtornos mentais já é necessário um mínimo grau de desenvolvimento pessoal e "sensibilidade"...

 

Como a sensibilidade que um cantor e um fonoaudiólogo têm com a audição ou que um artesão e um massagista têm no tato e um somelier tem no olfato, nós psicólogos desenvolvemos com a prática uma sensibilidade relacionada ao nosso trabalho (mas tudo dentro do respaldo científico, hein!).

 

Sabe, até vai ter gente que vai se beneficiar muito de uma pia de louça para lavar para entender o valor de certas coisas sim (quando a finalidade é educativa construtiva), mas se você achar que isso se aplica a todas as pessoas que lhe contradizem em todos os momentos então é você quem também está precisa de ajuda para entender um pouco mais cada contexto.

 

E a nossa população está muito alheia a entender quando é o caso de procurar ajuda, como ajudar e o que fazer ou não fazer, mais um motivo para existir uma campanha que não se estenda só a quem já está lutando contra o suicídio.

 

Falta "tato" sobre o assunto, sensibilidade aos detalhes!

 

O janeiro branco é um nível maior de prevenção do que o setembro amarelo, extremamente necessário para que a rede de apoio para quem estiver precisando mais realmente funcione.

 

Até porque, essa falta de sensibilidade por falta de informação acaba recaindo sobre quem?

 

O psicólogo, aquele que não educa a sociedade com campanhas como esta. Já era hora hein!

 

Então eu lhe faço um apelo, se não for por você mesmo faça pelos outros: busque se abrir a entender o aspecto emocional da vida de todos um pouco mais profundamente.

 

Pode não parecer de imediato, mas com certeza isso salvará vidas!

 

Só para lhe dar uma ideia, veja alguns números:

 

 

Apenas na cidade de Santos e só em 2017 (2018 ainda não divulgados), tivemos 26 suicídios e 58 tentativas registrados (pense em como será se em cada cidade tivermos números como estes todo ano).

 

Suicídio é a terceira maior causa de morte entre adolescentes entre 15 e 19 anos.

 

No Brasil 5,8% da população tem depressão (maior índice da América Latina) e 9,3% sofrem com algum transtorno de ansiedade.

 

Para fechar, segue um trecho do livro Liberte-se:

 

"As estatísticas são atordoantes: anualmente, quase 30% da população adulta enfrentam algum transtorno psicológico. A Organização Mundial de Saúde estima que atualmente a depressão seja a quarta maior, mais cara e mais debilitante doença no mundo, e que, por volta de 2020 terá se tornado a segunda maior. A cada semana, um décimo da população adulta sofre de depressão clínica, e uma em cada cinco pessoas enfrentará a doença em algum momento da vida. Além disso, de cada quatro adultos, um sofrerá com o vício em drogas ou com o alcoolismo. Hoje existem mais de vinte milhões de alcoólatras só nos Estados Unidos.

 

Entretanto, ainda mais espantoso e preocupante do que todas essas estatísticas é que uma em cada duas pessoas considerará seriamente o suicídio e lutará contra a ideia por um período de duas ou mais semanas. E o mais apavorante: de cada dez indivíduos, um deles, em algum momento, tentará de fato dar cabo da vida.

 

Pense nesses números por alguns instantes. Pense em seus amigos, na família, nos colegas de trabalho. Quase metade deles estará, em algum momento, tão tomado pelo sofrimento."

 

Será que alguém ainda vai dizer que psicologia é frescura depois de ler tudo isso?

 

Se for, qual procedimento melhor viria no lugar (desafio que em nenhum outro país ainda conseguiram: testada e aprovada cientificamente, a sério mesmo)?

 

Então estes são os dois fatores que você não pode deixar de lado para ter uma vida com sentido de verdade, com felicidade e objetivos alcançados:

 

1 - Desenvolver-se emocionalmente assim como já costuma (espero)  intelectualmente. Você pode fazer terapia ou outras atividades que já citei aqui no texto;

 

2 - Cuidar e agregar valor a vida das pessoas a sua volta também. Aqui por ser a minha área falei quanto ao aspecto emocional no sentido mais afetivo e da saúde, mas profissionais de outras áreas vão concordar comigo também, por exemplo, na área financeira e de gestão profissional.

 

Espero que você se lembre deste texto quando tiver qualquer oportunidade de ajudar alguém que esteja em sofrimento.

 

Se você quer alcançar os seus sonhos e viver num mundo bom para você, ajude o mundo a ser um lugar bom!

 

"Quem cuida da mente cuida da vida" (slogan do janeiro branco). 

 

Um abraço.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Please reload

psicologa em santos, consultorio de psicologia

Amábile Rodrigues Siqueira é psicóloga pela Universidade Federal de São Paulo atuando na cidade de Santos.

Posts Destacados

3 pensamentos para questionar se você quer ter uma vida amorosa tranquila e feliz.

14/02/2019

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Amábile Rodrigues Siqueira - Psicóloga em Santos - CRP 06/118851 - Consultório de Psicologia em Santos-SP - Atendimentos de Segunda a Sábado

  • Wix Facebook page
  • Instagram ícone social

amabile.rodsiq@gmail.com

(13) 98153-9029

por Amábile Rodrigues Siqueira